Arquivo para edição

Altair Hoppe >> Photoshop na vida real

Posted in Vídeos with tags , , , , , on maio 16, 2011 by Altair Hoppe

Viajar no tempo é um sonho de muita gente. Já imaginou voltar ao passado e alterar ou viver novamente momentos importantes e inesquecíveis da sua vida? Bem, legal! Mas como isso ainda não é possível, dois “malucos” fizeram uma brincadeira com as memórias fotográficas com uma ajudinha do Photoshop. A dupla compôs uma música, e de maneira desafinada, cantam sua viagem nas memórias familiares com um dedinho dos recursos e edições do programa. Bem exótico! Quem deu a dica foi o Rafael J. Seibt, da SEAM Photo & Design (http://seambrasil.wordpress.com).

Desastres feitos no Photoshop

Posted in Photoshop with tags , , , , , , , , , on setembro 14, 2010 by Altair Hoppe

Observe a distância entre o ombro e a mão de Mary Jane

Conseguimos criar efeitos incríveis no Photoshop. Mas basta um segundo de desatenção e nossa criação vai de água abaixo. As falhas mais comuns nas montagens e edições é a remoção ou inclusão de membros. No Brasil, por exemplo, a revista Playboy em 2006 publicou uma modelo sem umbigo. Outra falha bem freqüente é a falta de proporção. Veja acima o cartaz do filme Homem-Aranha 2. Observe a distância do ombro até a mão da Mary Jane. Bem, estranho! Separei mais alguns casos. Veja abaixo os desastres. Por isso, todo cuidado é pouco. Além de revisar a arte, revise a ortografa e ainda peça a aprovação do cliente para evitar maiores riscos.

Altair Hoppe >> Retoques no Photoshop: nem Jéssica Alba escapou

Posted in Photoshop with tags , , , , , , , , , on janeiro 12, 2010 by Altair Hoppe

A atriz Jéssica Alba foi a estrela da campanha da Campari em 2009. Sua beleza ficou muito conhecida nas cenas do filme Sin City – A cidade do pecado, de Frank Muller. Sua beleza estonteante parecia livre dos retoques digitais do Photoshop ou ajustes de edição. Bem, se ela continuasse como a mulher invisível, quando participou do filme Quarteto Fantástico, talvez teria se livrado das carimbadas do Photoshop. Como isso não foi possível… No calendário da Campari, além dos ajustes no fundo da imagem, foram sutilmente removidas dobras das roupas e curvas do corpo, como também foram adicionados generosos cabelos e tons mais vivos em toda a imagem. Sem dúvida, um belo trabalho de edição que mostra o quanto podemos utilizar o Photoshop para aprimorar a nossa imagem final. Portanto, fica aí a sugestão de acabamentos.

No sentido oposto da edição da Campari, temos a capa da revista Veja, publicada 27 de maio de 2009. Sob o título: Emagrecer pode ser uma delícia. A revista fez uma montagem no mínimo de qualidade duvidosa (veja acima). O alinhamento das pernas e do tronco da modelo é, vamos dizer, incompatível. A ideia da arte é bem interessante, mas a execução não foi das melhores. Um pequeno descuido, e lá se foi a qualidade do trabalho! Até por isso, a capa acabou no Photoshopdisasters – site especializado em publicar montagens e edições com falhas de todo o mundo. Diante de um exemplo deste, temos que cada vez mais redobrar nossa atenção. Se precisar alterar ou ajustar uma imagem faça de tal forma que ninguém perceba que houve uma manipulação, se não conseguir, passe o trabalho para alguém especializado. Jamais coloque em risco a credibilidade de sua marca ou estúdio. Este é o seu maior patrimônio!

Altair Hoppe >> Conversão para P&B e o poder da edição no Photoshop

Posted in Photoshop, Tutoriais with tags , , , , , , , , , , on dezembro 28, 2009 by Altair Hoppe

Neste mês de dezembro foi publicado meu primeiro artigo na revista Fotografe Melhor, da qual serei colunista daqui por diante. Para quem não conseguiu comprar a revista em banca ou não teve acesso a edição 159 / Dezembro 09, segue abaixo o tutorial que mostra converter uma imagem para preto-e-branco e como, de forma criativa, escolher a linguagem correta para editar e finalizar uma imagem. Boa leitura!

Para começar muito bem na Fotografe Melhor, selecionei um tema super controverso e cheio de caminhos: a edição de imagens. É fato, que fotos belíssimas podem ser estragadas com uma edição errada. Como também, fotos comuns, sem grande impacto na captura, podem se transformar em super fotografias com a inclusão de uma nova linguagem. E aí você pode estar se perguntando: mas por que isso acontece?

Como todos sabemos, toda imagem digital requer pequenas correções de cor, aplicação de nitidez, contraste ou brilho. E isso todo mundo faz muito bem. O problema é quando as imagens necessitam de uma edição mais complexa, como o ajuste de luz ou clareza de informações com a devida ênfase em determinados elementos. Nesse ponto, muitos fotógrafos e editores de imagens correm mais risco de errar e, sem querer, tornar a imagem menos interessante. E aqui não importa se você tem muita ou pouca experiência. Aqui o que vale é a escolha da linguagem correta para cada imagem.

Vamos ver um exemplo disso na prática. Veja a figura 1.

Observe que a modelo está com uma pose bem espontânea na imagem. Ela é bonita. Está sorrindo. Apesar disso, é uma imagem sem grande impacto. Nosso objetivo será tira-la do comum. Para isso, primeiro vamos converte-la para preto-e-branco. Vamos fazer isso porque a combinação de cores do fundo e da modelo causa uma confusão visual na imagem, o que evita uma atenção específica num elemento da foto. Tudo está chamando a atenção, apesar do fundo estar um pouco mais desfocado.

Para converter a imagem em preto-e-branco, pressione a letra D para deixar a cor preta e branca na cor de primeiro e segundo plano do seu Photoshop. A seguir, vá na paleta Camadas / Layers, selecione o botão Criar uma nova camada de ajuste e escolha o comando Mapa de Gradiente / Gradient Map, como mostra a figura 2.

Dentro da caixa do Mapa de Gradiente, podemos, se necessário, clicar sobre a escala de tons e alterar os tons de preto e branco conforme seu estilo de P&B. Depois dessa conversão, veja que agora a modelo é que se torna o elemento principal, ou seja, agora temos níveis de importância na imagem. A modelo é o primeiro. Para deixar isso ainda mais claro, podemos alterar a luz nas bordas da imagem. Na barra de ferramentas selecione a ferramenta Seleção Elíptica (M). Agora faça uma seleção oval que atinge todo o corpo da modelo. Depois pressione as teclas CTRL SHIFT e a letra “i” para inverter esta seleção. Finalmente, vá novamente no ícone de Camada de Ajuste da paleta Camadas e selecione o comando Curvas. Aumente a quantidade de sombras como mostra a figura 3.

Perceba que o fundo fica mais escuro, mas a transição fica dura, artificial. Por isso, vá no menu Filtro > Desfoque / Filter > Blur e aplica um comando Desfoque Gaussiano / Gaussian Blur na máscara para suavizar a transição das sombras. Desta forma, ajustamos as luzes da imagem para canalizar melhor o olhar do espectador.

O último passo é suavizar a textura da imagem. Selecione a camada Background e duplique ela com o atalho CTRL J. No topo da paleta Camadas/Layers altere o modo de mesclagem de Normal para Sobrepor/Overlay (figura 4).

Veja que o contraste da imagem fica mais forte. Mas a textura ainda está forte. Para suavizar, acesse o menu Filtro > Desfoque / Filter > Blur e aplique um pouco de Desfoque Gaussiano / Gaussian Blur. Se você achar que o efeito está muito denso, reduza um pouco intensidade no botão Opacidade / Opacity também presente na paleta Camadas.

Está pronta a edição. Veja na figura 5, que de maneira simples e rápida, deixamos a imagem com uma linguagem muito mais clara e elegante. E este é um dos grandes segredos de editar bem. O menos, na maioria das vezes, é mais. Espero que aproveite a dica. Até a próxima!

Foto: Levendula Images / Liquid Library