Arquivo para Fotografe Melhor

O filtro mágico do Photoshop

Posted in Photoshop, Tutoriais with tags , , , , , on agosto 17, 2010 by Altair Hoppe

Cada vez mais precisamos de velocidade no processo de tratamento e edição de imagens. E isso, nem sempre é possível dentro do Photoshop. Uma das soluções mais eficientes para acelerar o fluxo de trabalho, sem dúvida, é o plug-in Adobe Camera Raw. Um pequeno aplicativo que a Adobe inseriu no Photoshop desde a versão 7.0. Inicialmente, ele servia apenas para o tratamento de arquivos no formato Raw. Mas desde o Photoshop CS3, o Camera Raw abre arquivos JPEG e TIF, por exemplo. E o melhor de tudo! Você não se preocupar em baixar ou instalar ele no seu computador. Porque ele já está instalado. Quando você faz a instalação do Photoshop, automaticamente, o Adobe Camera Raw também é adicionado. Que ótima notícia! Então, como fazer para usa-lo? Simples, abra o Adobe Bridge, que é o gerenciador de arquivos do seu Photoshop, entre na pasta com as imagens, clique sobre um arquivo e pressione Ctrl R. Pronto, você está no Camera Raw.

Neste post, vamos conhecer um filtro espetacular para o tratamento de fotos. Trata-se do filtro de Graduação / Graduated Filter. Ele permite melhorar rapidamente a exposição, brilho, contraste, saturação, suavidade, nitidez e cores da imagem. Se você precisa simular um filtro de polarização no céu ou melhorar as cores das suas imagens, sem dúvida, o Graduated Filter vai resolver seus problemas. Mostraremos como é simples transformar fotos comuns em imagens extraordinárias. Vamos ver como isso funciona passo a passo.

Figura 1

Veja a figura 1. Observe como as cores do céu e da paisagem de maneira geral estão apagadas, sem graça. Portanto, nosso objetivo, com a ajuda do Graduated Filter, é melhorar a intensidade das cores. Então, vamos lá. Primeiro, acesse o Adobe Bridge, clique sobre a miniatura da imagem e pressione o atalho Ctrl R para abrir a imagem no Adobe Camera Raw (fig. 2), que daqui por diante chamaremos apenas de ACR.

Figura 2

Com a imagem aberta no ACR, selecione na barra de ferramentas o Filtro de Graduação / Graduated Filter. O atalho para ativa-lo é a letra G. Observe que ao acionar o filtro aparece um novo painel com comandos e ajustes especiais para o Graduated Filter no lado direito da tela (fig. 3).

Figura 3

Veja que nele podemos regular a exposição, brilho, contraste, saturação e muito mais. Inicialmente, reduza um pouco apenas o comando Exposição / Exposure. A seguir mova o cursor bem no meio do céu, clique e arraste para baixo. Observe que conforme faz o movimento de arrastar é criada uma faixa sobre a imagem. Aumente ela até que o efeito cubra todo o céu (fig. 4).

Figura 4

Desta maneira simulamos um filtro polarizador, mas podemos melhorar bem mais o efeito aumentando um pouco mais o comando Saturação / Saturation e Contraste / Contrast (fig. 5).

Figura 5

Agora melhorou bastante, mas veja que o tom da cor ainda não está muito bom. Para muda-la clique sobre o quadrado com um “X” dentro ao lado da palavra Cor / Color. Assim, teremos um seletor de cores. Selecionamos um azul mais claro sugerido pela paleta e o céu sem cores já era! Agora está bem azul e vibrante (fig. 6).

Figura 6

O segundo passo é mover o cursor na parte inferior do campo criar uma faixa de graduação até o início do céu. Inicialmente, são repetidos as mesmas configurações do último filtro, mas como queremos deixar os tons do campo mais intensos, aumentamos a exposição, o contraste, a saturação, e principalmente, mudamos a cor de azul claro para um verde claro (fig. 7).

Figura 7

É quando a mágica das cores acontece. Num piscar de olhos, as cores saltam aos olhos e a imagem fica com um aspecto muito melhor. Em alguns casos, precisamos aumentar ou reduzir a faixa de atuação do Graduated Filter. Para fazer isso, mova o cursor sobre o ponto verde ou vermelho no centro faixa, clique e arraste para cima ou para baixo. Como sugestão de acabamento, podemos aplicar um vinheta bem suave nas bordas da imagem. Abaixo, compare o antes e o depois.

* Este artigo também foi publicado na revista Fotografe Melhor / Número 167 / Agosto 2010

Altair Hoppe >> Artigo do Photoshop CS5 na Fotografe Melhor

Posted in Photoshop, Revistas with tags , , , , , , , , , on junho 3, 2010 by Altair Hoppe

Já está nas bancas de todo o Brasil a nova edição da revista Fotografe Melhor – número 165, junho de 2010. Nesta edição, o Sérgio Branco, diretor de redação, me pediu para escrever sobre os novos recursos do Photoshop CS5. De forma bem objetiva, separei os 10 comandos mais surpreendentes da nova versão, mostrando como eles estão melhorando o nosso fluxo de edição e tratamento. A matéria com 6 páginas está bem legal e é um ótimo aperitivo para aprender os truques do novo Photoshop. Além disso, também há duas reportagens adicionais que também gostei bastante: um teste comparativo entre a Canon 50D x 7D x 5D Mark II, que ajudará os profissionais a conhecer os prós e contras de cada modelo, e uma matéria de como usar o flash dedicado e acessórios dentro de estúdios para fotografar gente e produtos. Quem ainda não tem o Photoshop CS5, pode fazer o download de uma versão de testes direto no site da Adobe (www.adobe.com/downloads).

Altair Hoppe >> Plug-in do Photoshop para simular grão de filme

Posted in Photoshop, Tutoriais with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 28, 2010 by Altair Hoppe

Foto: Juliana Hoppe / Modelo: Carla Oliveira

Se existe um bom motivo para sentir saudades da fotografia analógica, com certeza, esse motivo é o tipo de grão formado pelos filmes. Apesar de cada vez mais raro, cada vez que vemos uma imagem granulada digitalizada ou impressa numa exposição ou revista, primeiro ficamos boquiabertos olhando cada detalhe da fotografia. Aqueles minúsculas grãos que formam a imagem nos prendem e tiram nosso fôlego. É uma linguagem que a fotografia digital deixou para trás. Inclusive, grande parte dos fotógrafos ficam arrepiados quando aparece o ruído digital nas suas imagens. Mas nem tudo está perdido, e não precisamos voltar a fotografar com filmes para incluir grãos realísticos nas fotografias digitais. Mas você pode estar se perguntando: para que ter imagens digitais com grãos? Simples: diversidade de linguagem fotográfica. Assim, podemos com variação de textura nas imagens, dar mais movimento e dinâmica em álbuns de casamento, books e ensaios. Imagine, um álbum inteiro com imagens lisas e coloridas! Não seria muito criativo, com risco de se tornar monótono. Então, a ideia é mesclar fotos coloridas com preto-e-branco, imagens lisas com imagens com grão. Essa mistura de linguagens dá movimento e equilíbrio ao trabalho entregue para noivos, modelos, agências e publicações. Nesta edição apresentar um plug-in fantástico para transformar suas imagens em verdadeiras obras de arte.

No Photoshop, há várias versões temos no menu Filter (Filtro) um comando chamado Add Noise (Adicionar Ruído), que teria o objetivo de simular os grãos nas imagens digitais. Contudo, se comparado aos grãos de filmes, esse filtro não gera um efeito com perfeição. É bom, mas não é excelente. E quando os filtros nativos do Photoshop não resolvem, precisamos recorrer aos plug-ins. Os plug-ins são programas com funções específicas desenvolvidos por outros fabricantes, e que podem ser instalados dentro Photoshop como se fossem filtros adicionais do programa. Há plug-ins para recorte de cabelos, suavização de pele, criação de efeitos diversos, e claro, simulação de grãos.

Um dos plug-ins mais precisos para geração de grãos é o Alien Skin Exposure. Ele reproduz grãos realísticos dos filmes, modelando o tamanho, a forma e os tons dos grãos de inúmeras marcas de filmes e modelos de filmes, como Ilford Delta 3200, Kodak TRI-X 400, Kodak T-MAX 3200 e muitos outros.  Depois de instalar o plug-in na pasta Filter (Filtros) do Photoshop, abra o programa, selecione uma imagem e vamos simular os grãos. Veja a figura 1. Uma imagem colorida de um ensaio sensual.

Para torna-la mais interessante vamos usar o Exposure para adicionar os grãos. Vá no menu Filter / Alien Skin Exposure 2. Veja que dentro deste menu temos a alternativa de trabalhar com filme colorido ou preto-e-branco (figura 2).

Neste exemplo, vamos selecionar Black and White Film. Ao abrir a caixa de diálogo, temos uma lista de filmes preto-e-branco de diferentes características: com grão, sem grão, com baixo contraste com grão, com baixo contraste sem grão, entre outros (figura 3).

Para este tutorial, selecionamos o B&W Films. Ao clicar neste menu, o Exposure abre uma lista de filmes Agfa, Fuji, Ilford e Kodak, de diferentes ISO e modelos. Coloque o zoom de visualização em 100% e escolha um dos filmes, com a granulação mais lhe agrada (figura 4). Desta forma, as características do filme são aplicadas a imagem.

Caso precise personalizar o tamanho do grão, contraste, intensidade de cada canal de cor, selecione os menus adicionais: Color, Tone, Focus, Grain e IR, ajustando os controles conforme sua vontade (figura 5).

Após alguns minutos você terá em sua tela uma imagem muito mais interessante, e que com certeza, irá surpreender seus clientes. Compare a figura 1 com a figura 6 e sinta as diferenças de textura e linguagem.

Mas atenção! Antes de aplicar esse efeito, remova com a ferramenta Clone Stamp ou Healing Brush todas as imperfeições, expressões ou elementos indesejáveis da imagem. Fazer essa tarefa depois da aplicação do Exposure pode comprometer a qualidade final da imagem. Após aplicar o efeito de conversão, como acabamento, podemos aplicar vinheta, refinar nitidez, sombras e realces.

* Publiquei também este artigo na edição deste mês ( janeiro/2010) da revista Fotografe Melhor, onde colabor como colunista.

Altair Hoppe >> Como simular grão de filme?

Posted in Photoshop, Revistas with tags , , , , , , , , , on janeiro 18, 2010 by Altair Hoppe

Já está nas bancas a nova edição da Fotografe Melhor / Janeiro 2010 com mais um artigo de Photoshop de minha autoria. Nesta edição, mostro como é possível simular grão de filme com perfeição através de um plug-in chamado Alien Skin Exposure (veja alguns exemplos no site: http://www.alienskin.com/exposure/exposure_examples.aspx). Muitos fotógrafos de estúdio, casamento e fotojornalismo possuem verdadeira adoração pelo ruído dos filmes de película, mas até então com os comandos do Photoshop (Add Noise e Film Grain) e do Lightroom era difícil simular com precisão a textura em imagens digitais. Mas com a aplicação do Exposure o resultado é incrivelmente realístico. Fiz uns testes e fiquei impressionado. Vale a pena conferir. A Fotografe Melhor custa R$ 10,90 e está nas bancas de todo o Brasil.

Além da coluna de Photoshop, a revista traz uma matéria bem interessante com dicas para produzir fotos de sensualidade. Na matéria imagens de atrizes e celebridades como a Mulher Samambaia, do Pânico na TV e Viviane Araújo feitas pelo fotógrafo Marcos Serra Lima, que revela como é dirigir ensaios bem apimentados.

Altair Hoppe >> Conversão para P&B e o poder da edição no Photoshop

Posted in Photoshop, Tutoriais with tags , , , , , , , , , , on dezembro 28, 2009 by Altair Hoppe

Neste mês de dezembro foi publicado meu primeiro artigo na revista Fotografe Melhor, da qual serei colunista daqui por diante. Para quem não conseguiu comprar a revista em banca ou não teve acesso a edição 159 / Dezembro 09, segue abaixo o tutorial que mostra converter uma imagem para preto-e-branco e como, de forma criativa, escolher a linguagem correta para editar e finalizar uma imagem. Boa leitura!

Para começar muito bem na Fotografe Melhor, selecionei um tema super controverso e cheio de caminhos: a edição de imagens. É fato, que fotos belíssimas podem ser estragadas com uma edição errada. Como também, fotos comuns, sem grande impacto na captura, podem se transformar em super fotografias com a inclusão de uma nova linguagem. E aí você pode estar se perguntando: mas por que isso acontece?

Como todos sabemos, toda imagem digital requer pequenas correções de cor, aplicação de nitidez, contraste ou brilho. E isso todo mundo faz muito bem. O problema é quando as imagens necessitam de uma edição mais complexa, como o ajuste de luz ou clareza de informações com a devida ênfase em determinados elementos. Nesse ponto, muitos fotógrafos e editores de imagens correm mais risco de errar e, sem querer, tornar a imagem menos interessante. E aqui não importa se você tem muita ou pouca experiência. Aqui o que vale é a escolha da linguagem correta para cada imagem.

Vamos ver um exemplo disso na prática. Veja a figura 1.

Observe que a modelo está com uma pose bem espontânea na imagem. Ela é bonita. Está sorrindo. Apesar disso, é uma imagem sem grande impacto. Nosso objetivo será tira-la do comum. Para isso, primeiro vamos converte-la para preto-e-branco. Vamos fazer isso porque a combinação de cores do fundo e da modelo causa uma confusão visual na imagem, o que evita uma atenção específica num elemento da foto. Tudo está chamando a atenção, apesar do fundo estar um pouco mais desfocado.

Para converter a imagem em preto-e-branco, pressione a letra D para deixar a cor preta e branca na cor de primeiro e segundo plano do seu Photoshop. A seguir, vá na paleta Camadas / Layers, selecione o botão Criar uma nova camada de ajuste e escolha o comando Mapa de Gradiente / Gradient Map, como mostra a figura 2.

Dentro da caixa do Mapa de Gradiente, podemos, se necessário, clicar sobre a escala de tons e alterar os tons de preto e branco conforme seu estilo de P&B. Depois dessa conversão, veja que agora a modelo é que se torna o elemento principal, ou seja, agora temos níveis de importância na imagem. A modelo é o primeiro. Para deixar isso ainda mais claro, podemos alterar a luz nas bordas da imagem. Na barra de ferramentas selecione a ferramenta Seleção Elíptica (M). Agora faça uma seleção oval que atinge todo o corpo da modelo. Depois pressione as teclas CTRL SHIFT e a letra “i” para inverter esta seleção. Finalmente, vá novamente no ícone de Camada de Ajuste da paleta Camadas e selecione o comando Curvas. Aumente a quantidade de sombras como mostra a figura 3.

Perceba que o fundo fica mais escuro, mas a transição fica dura, artificial. Por isso, vá no menu Filtro > Desfoque / Filter > Blur e aplica um comando Desfoque Gaussiano / Gaussian Blur na máscara para suavizar a transição das sombras. Desta forma, ajustamos as luzes da imagem para canalizar melhor o olhar do espectador.

O último passo é suavizar a textura da imagem. Selecione a camada Background e duplique ela com o atalho CTRL J. No topo da paleta Camadas/Layers altere o modo de mesclagem de Normal para Sobrepor/Overlay (figura 4).

Veja que o contraste da imagem fica mais forte. Mas a textura ainda está forte. Para suavizar, acesse o menu Filtro > Desfoque / Filter > Blur e aplique um pouco de Desfoque Gaussiano / Gaussian Blur. Se você achar que o efeito está muito denso, reduza um pouco intensidade no botão Opacidade / Opacity também presente na paleta Camadas.

Está pronta a edição. Veja na figura 5, que de maneira simples e rápida, deixamos a imagem com uma linguagem muito mais clara e elegante. E este é um dos grandes segredos de editar bem. O menos, na maioria das vezes, é mais. Espero que aproveite a dica. Até a próxima!

Foto: Levendula Images / Liquid Library

Altair Hoppe >> Colunista da Fotografe Melhor

Posted in Revistas with tags , , , , , , , , , on dezembro 11, 2009 by Altair Hoppe

A partir desta edição comecei a publicar artigos na revista Fotografe Melhor. A ideia é publicar todo mês uma coluna com dicas de Photoshop, Lightroom e plug-ins para tratamento e edição de imagens. Nesta edição, escrevi um artigo sobre como tranformar as fotos apenas selecionando a linguagem certa e inserindo efeitos de vinheta e conversão de tons. Depois de 10 anos na Editora Photos, em maio deste ano, deixei de contribuir com as revistas Photos e Photo Magazine, além de sair em definitivo da Editora Photos e lançar um novo selo: a iPhoto Editora. Agora, como colunista da Fotografe Melhor, a revista de maior penetração e circulação de fotografia do Brasil, espero, mais uma vez, ajudar os leitores a entender, ainda mais, o universo do Photoshop. A edição com meu primeiro artigo já está nas bancas do todo o país ao custo de R$ 10,90.