Arquivo para manipulação

Banda lança clipe sobre a era do Photoshop

Posted in Photoshop, Vídeos with tags , , , on dezembro 7, 2010 by Altair Hoppe

A banda inglesa Everything Everything lançou em novembro o clipe de sua nova música. E a estrela principal da canção são os efeitos do Photoshop. Com o título de “Photoshop Handsome”, a música, em seu refrão, diz: “Você está pronto para reencarnação? É preciso voltar como algo orgânico, ou voltar como outra coisa”. A ideia é simples! Como seria voltar à vida como um ser manipulado pelos recursos do Photoshop. Segundo o vocalista Jonathan Higgs, o vídeo é fruto de um apanhado de diversos profissionais de imagem. Apesar de uma boa edição, um som bem animadinho, as manipulações são bem bizarras e, às vezes, toscas. De longe, lembra a Pop art com uma ponta de crítica a perfeição estética dos dias modernos.

Capa da revista Playboy gera mais polêmica sobre o Photoshop

Posted in Photoshop with tags , , , , , , , , on junho 30, 2010 by Altair Hoppe

A discussão sobre o uso indevido do Photoshop não é uma onda, é uma tsunami! Quase todo dia aparece uma imagem de campanha publicitária ou capa de revista com celebridades esquentando o debate. O caso da semana é a capa da revista Playboy de julho de 2010, que está chegando nas bancas. A estrela do periódico é a jornalista Mônica Apor, repórter do programa TV Fama, exibido na Rede TV! Moça bonita, curvas bem definidas, e…. sem peitinho! Opa, sem peitinho não vale. A discussão está exatamente aí. Na foto de capa a repórter está com os seios bem a mostra, no entanto, não aparecem seus mamilos. Claro que, não cairia bem, esteticamente, eles aparecerem, mas a manipulação está dando o que falar. Veja a imagem acima. Embora, vale ressaltar,  mais uma vez, que o Photoshop não é o culpado. Ele é apenas a ferramenta. A decisão de alterar a estética é do editor de fotografia, do fotógrafo ou profissional responsável pela edição. Há casos, em que as falhas são deslizes, desatenção. Na própria Playboy foi publicada uma foto, em novembro de 2005, de uma modelo sem umbigo. Foto era em página inteira. Óbvio, o objetivo não era esse. Veja a imagem abaixo!

Altair Hoppe >> Photoshop versus Uma linda mulher

Posted in Photoshop with tags , , , , , , , , , on junho 24, 2010 by Altair Hoppe

A mais recente polêmica envolvendo o uso do Photoshop é com a atriz Julia Roberts, ironicamente estrela do antigo e sempre vivo filme Uma Linda Mulher. Julia estreou recentemente uma campanha de rímel da Lancôme, onde aparece, como de costume, linda, mas desta vez ela contou com uma ajuda dos retoques do Photoshop, afinal ela já tem 42 anos e o tempo não perdoa ninguém, nem Julia Roberts.

No Brasil, o portal Terra e o Globo.com deram matérias com destaque sobre a campanha, principalmente, com ênfase no uso do Photoshop. O título do Terra: “Photoshop: Julia Roberts aparece mais jovem em campanha“. O título da matéria do Globo.com: Julia Roberts é a nova ‘vítima’ do Photoshop. Quanta maldade com o Photoshop! A discussão está tão aguda, que países como França e Inglaterra que possuem projetos de lei prevendo o uso do Photoshop em campanhas publicitárias. E não pára por aí. A moda também já chegou no Brasil. O projeto de lei 6.853/10, do deputado Wladimir Costa está em análise na Câmara dos Deputados e poderá multar em até R$ 50 mil quem não publicar um aviso nos anúncios informando que as peças foram manipuladas.

Indiferente as leis, algumas marcas já começam a sentir o peso das manipulações agressivas e estão buscando outra postura. De acordo com o portal Terra,  “a loja de departamentos inglesa Debenhams decidiu banir o recurso das fotos para divulgar suas linhas de roupas, incluindo lingerie e moda praia. Segundo um porta-voz da empresa, isso visa combater a imagem pouco realista divulgada por meio de revistas e campanhas de moda, que mostram mulheres com formas perfeitas, pele irretocável e cabelos perfeitamente modelados.

Para mostrar a diferença, foram divulgadas na loja da Oxford Street, em Londres, a imagem com retoques e a real, junto com a mensagem “We’ve not messed with natural beauty; this image is unairbrushed. What do you think?”(Nós não alteramos a beleza natural, essa imagem não foi modificada. O que você acha?)”.

Altair Hoppe >> Photoshop faz um ajuste básico em Britney Spears…

Posted in Photoshop with tags , , , , , on abril 7, 2010 by Altair Hoppe

Com certeza absoluta que há mulheres lindissímas espalhadas por todo o mundo, principalmente no Brasil. Mas no universo das celebridades, nem sempre a beleza é absolutamente original. Além de uma maquiagem reforçada e caprichada, as estrelas da música, do cinema e da moda contam sempre com a ajuda dos ajustes “finos” do Photoshop. E para nós, profissionais da imagem isso gera uma demanda de trabalho bem interessante. São retoques em ensaios, books, revistas femininas, masculinas, fotos de moda, beleza ou campanhas publicitárias. Independente se isso é certo ou errado, o retoque faz parte do glamour e do conceito que a indústria dos famosos buscar passar ou criar. Recentemente, o jornal inglês The Sun resolveu por lenha na fogueira. O tablóide publicou um antes e depois do Photoshop da cantora Britney Spears. Segundo o jornal, a cantora foi retocada para aparecer bem torneadinha num anúncio de roupas. E aqui cabe algumas reflexões.

Sempre que é noticiado esse tipo de matéria, sempre a culpa é do Photoshop. E isso é verdade? Claro que não. O que ninguém se atreve a discutir é porque a indústria da beleza, anunciantes e editoras adotam o procedimento dos retoques agressivos. O próprio The Sun, recentemente, manipulou a foto de um boi. Pode? Caso que desvendemos no quadro Detetive Virtual do Fantástico. Aonde queremos chegar? O Photoshop é uma ferramenta fabulosa e quase imprescindível, mas quem detém o conceito e a responsabilidade do que é criado através dele, sempre, somos nós, fotógrafos, editores, publicitários, designers e profissionais da imagem. Dizer que a culpa é do Photoshop é como dizer que é culpa de registrar uma imagem é da câmera fotográfica. Dizer que a culpa é do Photoshop é senso comum.

Altair Hoppe >> Magreza exagerada não é culpa do Photoshop

Posted in Photoshop with tags , , , , , , , , , on janeiro 14, 2010 by Altair Hoppe

No final de 2009, um anúncio da Ralph Lauren (imagem acima) pôs ainda mais combustível nas discussões sobre o uso abusivo do Photoshop. Veja que a modelo está superesquelética, muito, mas muito além dos já exagerados padrões de beleza exibidos em passarelas ou em anúncios. Neste caso, a manipulação chega a níveis de aberração. Observe que há uma desproporção enorme entre o tamanho do corpo (cintura, braços e pernas) e da cabeça da modelo.

Você deve estar se perguntando, mas quem é a Ralph Lauren? Com certeza, você já viu ou vestiu uma das peças desta gigante da moda. Seu produto mais conhecido talvez seja a clássica camisa pólo. A empresa é proprietária de marcas como POLO, CHAPS, LAUREN e Club MONACO, possuindo 390 lojas próprias (286 nos Estados Unidos e mais 104 espalhadas por 31 países), além de ter seus produtos vendidos em grandes lojas de departamentos e multimarcas ao redor do mundo, empregando 14 mil funcionários. Segundo a consultoria britânica InterBrand, somente a marca POLO RALPH LAUREN está avaliada em US$ 3.04 bilhões, ocupando a posição de número 99 no ranking das marcas mais valiosas do mundo. Por isso mesmo que o anúncio gerou tanta polêmica.

E aqui vale uma análise. Sempre que ocorre esse tipo de caso o senso comum diz que a culpa é do Photoshop. E isso não é verdade! Nenhuma manipulação é culpa ou mérito do Photoshop. O fato do Photoshop permitir a execução de retoques não significa que ele é o responsável. Se não existisse o Photoshop, com certeza, diretores de arte, imagemakers, produtores, editores de imagens e manipuladores buscariam outros mecanismos para compor as imagens e manipular. A intenção de estabelecer determinada estética é uma decisão puramente nossa, humana. O Photoshop é apenas uma ferramenta facilitadora do processo, mas somos nós que estabelecemos o limite da sua aplicação. O mesmo vale para manipulações e suavizações de pele e formas do corpo em revistas femininas ou masculinas como Playboy, Sexy, NOVA, Claudia, entre outras.

De curiosidade entrei no site da Ralph Lauren (http://www.ralphlauren.com/) para dar uma olhada mais aprofundada, e gostei do que vi. Ao contrário deste anúncio, vi modelos lindas, belas fotos e um conceito de beleza plausível. Acredito que foi um caso isolado, mas fica a lição para a empresa, que enfrentou uma enxurrada de críticas negativas ao redor do mundo ao apregoar um modelo de beleza esquelético, que beira o doentio. Posteriormente, a empresa admitiu o uso do Photoshop para deformar a modelo. A matéria foi publicada no portal G1, da Globo.com. Sendo assim, cada vez que manipulamos uma imagem devemos ter consciência da nossa responsabilidade social e sobre a imagem da nossa empresa ou do nosso cliente que assina o anúncio, peça publicitária ou imagem. Portanto, cuidado ao usar o filtro Liquify (Dissolver)!

Altair Hoppe >> Retoques no Photoshop: nem Jéssica Alba escapou

Posted in Photoshop with tags , , , , , , , , , on janeiro 12, 2010 by Altair Hoppe

A atriz Jéssica Alba foi a estrela da campanha da Campari em 2009. Sua beleza ficou muito conhecida nas cenas do filme Sin City – A cidade do pecado, de Frank Muller. Sua beleza estonteante parecia livre dos retoques digitais do Photoshop ou ajustes de edição. Bem, se ela continuasse como a mulher invisível, quando participou do filme Quarteto Fantástico, talvez teria se livrado das carimbadas do Photoshop. Como isso não foi possível… No calendário da Campari, além dos ajustes no fundo da imagem, foram sutilmente removidas dobras das roupas e curvas do corpo, como também foram adicionados generosos cabelos e tons mais vivos em toda a imagem. Sem dúvida, um belo trabalho de edição que mostra o quanto podemos utilizar o Photoshop para aprimorar a nossa imagem final. Portanto, fica aí a sugestão de acabamentos.

No sentido oposto da edição da Campari, temos a capa da revista Veja, publicada 27 de maio de 2009. Sob o título: Emagrecer pode ser uma delícia. A revista fez uma montagem no mínimo de qualidade duvidosa (veja acima). O alinhamento das pernas e do tronco da modelo é, vamos dizer, incompatível. A ideia da arte é bem interessante, mas a execução não foi das melhores. Um pequeno descuido, e lá se foi a qualidade do trabalho! Até por isso, a capa acabou no Photoshopdisasters – site especializado em publicar montagens e edições com falhas de todo o mundo. Diante de um exemplo deste, temos que cada vez mais redobrar nossa atenção. Se precisar alterar ou ajustar uma imagem faça de tal forma que ninguém perceba que houve uma manipulação, se não conseguir, passe o trabalho para alguém especializado. Jamais coloque em risco a credibilidade de sua marca ou estúdio. Este é o seu maior patrimônio!

Altair Hoppe >> Ingleses proibem anúncio retocado no Photoshop

Posted in Photoshop, Revistas with tags , , , , , , , , , , on janeiro 8, 2010 by Altair Hoppe

Há duas semanas publiquei aqui um artigo sobre um projeto na França para inclusão dos créditos em fotos retocadas pelo Photoshop. Hoje, dei de cara no jornal O Globo, com mais um caso do gênero. Agora na Inglaterra houve a proibição de um anúncio com retoques generosos feitos pelo Photoshop. A peça publicitária trouxe uma foto da modelo Twiggy, de 60 anos, sem marcas de expressão, sugerindo que o produto que ela usa (um creme antirrugas), faz verdadeiros milagres no tratamento das rugas e das olheiras (olhe novamente acima a foto do anúncio e a original da modelo sem retoques – complicado, né?).

A suspensão se baseou no pedido de mais de 700 reclamações das consumidoras. Segundo a Advertising Standard Authority, que determinou a suspensão, o anúncio é “socialmente irresponsável” porque pode aumentar a percepção negativa que as mulheres têm do envelhecimento e da própria imagem. Além, de considerar a propaganda é enganosa, sugerindo soluções que o produto não faz. Em nota, a instituição afirmou: “Consideramos que os consumidores poderiam ter uma expectativa irreal em relação ao produto com base nestas imagens. As mulheres sabem que modelos são maquiadas e produzidas antes das fotos, mas não concordamos com imagens excessivamente tratadas em programas como o Photoshop.”

O fabricante do creme, a Procter&Gamble, respondeu dizendo que não achava que as imagens teriam tanto impacto, principalmente por se tratar de um produtos para mulheres mais velhas, geralmente mais bem-resolvidas com sua autoimagem. Além disso, a empresa lembrou que existe sempre “diferenças entre imagens feitas por paparazzi e as feitas por profissionais da indústria da beleza”. A P&G admitiu que os olhos de Twiggy foram “levemente” retocados no computador. Leia a matéria na íntegra no link: www.oglobo.com

O bicho vai pegar ainda mais quando essa discussão chegar nos retoques feitos em revistas femininas, que usam e abusam da remoção de marcas de expressão, textura de pele e formas do rosto e do corpo. Já pensou um ensaio inteiro da Playboy sem fotos retocadas?

Altair Hoppe >> O boi gigante do Detetive Virtual

Posted in Photoshop, Vídeos with tags , , , , , , on janeiro 4, 2010 by Altair Hoppe

Foi ao ar dia 03/01/2010, o quadro Detetive Virtual do Fantástico com o caso do boi gigante da Inglaterra (veja o vídeo acima). O Tadeu Schmitt, que apresenta e produz o quadro, mandou uma imagem desse “bicho” e me disse que eles haviam filmado o animal e quando comparado com uma foto divulgada pela internet, o “bicho” aparentava, na imagem, ser maior que no vídeo. Então, o objetivo era checar se havia ou não a manipulação na imagem. Que o boi existia era fato, que era grande também. Então, porque alguém precisaria manipular a imagem que já era impressionante? Bem, antes das respostas, veja a imagem em questão.

Na primeira olhada, a imagem não dá indícios de montagem. O boi é grande o dono do animal está ali paradinho, tudo certo. Mas quando olhamos todos os elementos da imagem com mais atenção, notamos que a perspectiva do boi está inclinada à direita e a do homem para a esquerda. Como pode isso? Aí está uma falha de edição que comprova a manipulação. Como a imagem foi feita sob a luz do dia (luz solar), a direção das sombras deveria estar na mesma perspectiva, no mesmo sentido. O que não está acontecendo. E qual a intenção dessa manipulação? Simples, se fizermos uma seleção no Photoshop no boi e na sua sombra e flipar no Photoshop pelo menu Edit > Transform > Flip Horizontal.Veja como fica a imagem com essa inversão:

Agora sim. Observe que agora as sombras estão no mesmo sentido. E por que isso foi feito? Colocar o dono e o boi um de frente para o outro, acreditou o editor do jornal, que era bem mais interessante do que o “bumbum” do animal virado para o dono.

Mas quando fizemos essa inversão notamos também algo estranho no tamanho da sombra do aninal. Apesar de estarem no mesmo sentido, a perspectiva não é igual a sombra do homem. E aí aparece a segunda falha na edição. Para dar um pouco mais de impacto nos leitores, optou-se em aumentar um pouquinho o tamanho do bicho, o que causou um desalinhamento do seu corpo com sua sombra. Como o tamanho boi é de 1,90m, usamos uma regra dos terços usando o tamanho do homem e sua sombra para concluir que, houve um aumento de quase 20 centímetros. Não é muito, mas é uma ampliação que visa impressionar ainda mais os leitores. Claro que o ideal seria não fazer a montagem ou se fosse um caso imprescindível, faze-la bem feita a ponto de se tornar tão exata quanto a realidade. Para isso, elementos como sombras, textura (ruído) e perspectivas devem estar perfeitamente alinhadas.

Altair Hoppe >> Que beleza de Photoshop!

Posted in Photoshop with tags , , , , , on novembro 23, 2009 by Altair Hoppe

Vira e mexe aparece na internet um conjunto de fotos com ajustes milagrosos do Photoshop. Isso vira febre nas correntes, blogues, twitter e orkut. E lá começa a polêmica do uso do programa para melhorar “o corpinho” das modelos. Discussões a parte, um caso que achei bem curioso para compartilhar com você foi o das meninas do jóquei. Com certeza, é a materialização do sonho de muita mulher, mesmo que pelo processo digital. Veja o antes e depois.

Esse Photoshop faz belos milagres...

A realidade sem Photoshop é bem diferente