Arquivo para marcas de expressão

O Photoshop entra na campanha eleitoral…

Posted in Photoshop with tags , , , , on agosto 27, 2010 by Altair Hoppe

Recentemente, recebi um convite muito interessante. Avaliar fotos de candidatos ao Governo do Estado para o jornal de maior circulação em Santa Catarina. A idéia era identificar a quantidade de retoques em cada candidato.Observe os retoque e tire suas conclusões. Com dois pontos de reflexão: os eleitores vão reconhecer o candidato ao vivo, num comício? O retoque ajuda ou prejudica a credibilidade do candidato? E no seu Estado como o Photoshop está sendo empregado. Mande algum caso curioso que publico por aqui.

Ideli Salvatti

Angela Amin

Raimundo Colombo

Altair Hoppe >> Ingleses proibem anúncio retocado no Photoshop

Posted in Photoshop, Revistas with tags , , , , , , , , , , on janeiro 8, 2010 by Altair Hoppe

Há duas semanas publiquei aqui um artigo sobre um projeto na França para inclusão dos créditos em fotos retocadas pelo Photoshop. Hoje, dei de cara no jornal O Globo, com mais um caso do gênero. Agora na Inglaterra houve a proibição de um anúncio com retoques generosos feitos pelo Photoshop. A peça publicitária trouxe uma foto da modelo Twiggy, de 60 anos, sem marcas de expressão, sugerindo que o produto que ela usa (um creme antirrugas), faz verdadeiros milagres no tratamento das rugas e das olheiras (olhe novamente acima a foto do anúncio e a original da modelo sem retoques – complicado, né?).

A suspensão se baseou no pedido de mais de 700 reclamações das consumidoras. Segundo a Advertising Standard Authority, que determinou a suspensão, o anúncio é “socialmente irresponsável” porque pode aumentar a percepção negativa que as mulheres têm do envelhecimento e da própria imagem. Além, de considerar a propaganda é enganosa, sugerindo soluções que o produto não faz. Em nota, a instituição afirmou: “Consideramos que os consumidores poderiam ter uma expectativa irreal em relação ao produto com base nestas imagens. As mulheres sabem que modelos são maquiadas e produzidas antes das fotos, mas não concordamos com imagens excessivamente tratadas em programas como o Photoshop.”

O fabricante do creme, a Procter&Gamble, respondeu dizendo que não achava que as imagens teriam tanto impacto, principalmente por se tratar de um produtos para mulheres mais velhas, geralmente mais bem-resolvidas com sua autoimagem. Além disso, a empresa lembrou que existe sempre “diferenças entre imagens feitas por paparazzi e as feitas por profissionais da indústria da beleza”. A P&G admitiu que os olhos de Twiggy foram “levemente” retocados no computador. Leia a matéria na íntegra no link: www.oglobo.com

O bicho vai pegar ainda mais quando essa discussão chegar nos retoques feitos em revistas femininas, que usam e abusam da remoção de marcas de expressão, textura de pele e formas do rosto e do corpo. Já pensou um ensaio inteiro da Playboy sem fotos retocadas?